Junior Campos Prado

01/10/2021

Comprar pela internet

Elaborados por profissionais especializados e empresários com os olhos no futuro, o e-commerce é opção democrática, ágil e segura para consumidores de produtos referentes à construção civil, tecnologia, vestuário, bebidas, entre outros.

A prática de comprar qualquer produto em uma loja física tende a ficar cada vez mais distante do consumidor. Vendas pela internet, por meio dos chamados e-commerce e outras plataformas, facilita, agiliza e torna o preço do produto mais competitivo. É a democratização da escolha, e, ao que tudo indica, será cada dia mais aprimorada. Evandro Pullini, proprietário de uma das maiores e-commerces do segmento de acabamento na construção civil, no país, foi o pioneiro a adotar este modo de venda, há mais de dez anos. Também possui loja física em Jaú.

Começamos com a venda com materiais bem modestos. O negócio ganhou corpo, e hoje temos estrutura voltada para esse canal de vendas, com gerência na área comercial, área de cadastro, gerenciamento antifraude. Vendemos para cidades de todo o Brasil e fazemos até entrega fluvial. Nas vendas online, o responsável deve ser criterioso. Na opinião de Pullini, o consumidor que compra pela internet avalia muito a loja em que vai comprar, verifica prazo de entrega e melhores preços. “A venda online tem mais peculiaridades do que uma loja tradicional de varejo, onde a compra é feita pessoalmente. O consumidor insatisfeito tem comportamento agressivo na internet”.

Depois de dez anos de atuação com e-commerce, Pullini diz que a maturidade do site deixou para trás uma série de dificuldades que os iniciantes enfrentam, como por exemplo a logística e outros pontos. Eles vendem para consumidor final e para revenda. Além de atuarem com e-commerce e loja física, possuem parceria com o Walmart, que atua como intermediador.

 Segundo o empresário, o crescimento das empresas, como é notório, e as lojas de nichos, as lojas não especializadas, terão dificuldade em se manter.

Acredito que as lojas que vendem um pouco de cada produto vão se extinguir no futuro e darão espaço para o crescimento do varejo online”.

Tecnologia

A

O profissional que desenvolver esse trabalho precisa dominar as ferramentas do marketing digital e suas potencialidades, bem como saber otimizar os resultados verificados em cada ação para seu cliente”, diz Fernando Tobgyal, mestre em mídia e tecnologia.

Para ele, o empresário atualizado que pretende atrair clientes deve ser presente na internet, primar pela estética e pelo conteúdo de qualidade, com o objetivo de acrescentar valor ao produto ou ao serviço. 

Para ampliar negócios, captar novos clientes, ou até mesmo divulgar as atividades, é imprescindível utilizar o Facebook, Instagran, Twitter, ter Blogs ou sites. Isto proporciona ao público muitas informações e esclarecimentos sobre produtos e serviços”.

O nível de exigência do consumidor que acessa a internet para comprar algo está cada vez maior. Isto porque o mundo virtual ampliou a democratização da informação e também deu espaço para críticas e reclamações.

Quando procuramos por um produto ou serviço na internet, queremos saber quem, como, e de que forma aquilo que buscamos é encontrado. A partir do momento em que decidimos comprar algo, desejamos saber se quem comprou ou contratou ficou satisfeito. Queremos saber se foi bem atendido, se o produto ou o serviço são bons, se o prazo de entrega foi respeitado e se o produto chegou ao destino em perfeito estado”, comenta Tobgyal que também atua na produção de conteúdo, redes sociais, blogs e sites pessoais, profissionais e corporativos.

Com 90% dos seus clientes fora de Jaú, o engenheiro de materiais e empresário no ramo da impressão 3D, Luis Henrique Okusu, conta que sua empresa funciona na base do e-commerce, vendendo serviços pela internet. Ele é fundador de um coworking que também tem plataforma de e-commerce para venda e reserva de vagas nas salas e baias de trabalho.

O e-commerce se aplica a tudo, desde cosméticos e capas de celulares até materiais de construção, equipamentos náuticos e aeronaves, passando pelas áreas de prestação de serviços – impressão 3D sob demanda, por exemplo, e produtos e serviços tecnológicos, tais como smartphones, equipamentos e insumos”, diz Okusu.

O diferencial da venda pela internet, dentre outros itens, traz benefícios tanto para o consumidor – que passa a ter acesso a ofertas de produtos de qualquer lugar, transpondo barreiras físicas e comerciais – como para o vendedor, que passa a ter abrangência ilimitada e presença e acesso a mercados antes inexplorados. 

Com isso, o mercado torna-se mais democrático e os preços mais equilibrados”, segundo o engenheiro.

O que é um E-Commerce

e-commerce pode ser traduzido como um comércio eletrônico. É uma loja virtual que só vende produtos de uma única empresa, diferentemente de um marketplace, plataforma onde várias empresas vendem seus produtos. No e-commerce não há um intermediador para o processo de venda.

 O e-commerce realiza a venda e o atendimento ao cliente. A partir disso, é possível ter o controle de finanças, estoque e marketing. Em 2015, o Brasil foi classificado como o décimo maior mercado de e-commerce do mundo.  Um dos motivos do crescimento das vendas em lojas virtuais é o preço competitivo dos produtos. Isto é possível porque um e-commerce tem menos custos e não há salários nem comissão para vendedores. Além disso, é mais prático, principalmente para o consumidor que pretende comparar preços.

O marketing de conteúdo é uma das estratégias adotadas para alavancar um e-commerce. Bons textos costumam atrair consumidores para lojas virtuais. No marketing de conteúdo, a escolha dos temas influi na construção de um relacionamento com o consumidor em potencial e permite que o e-commerce se conecte com o público por meio de outros canais como a Fan Page do FacebookInstagran ou Youtube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *